• Político também deve ter valor

     

    Fazemos tudo na vida em função de nossos valores pessoais.

    Inclusive escolhemos com quem vamos viver juntos a partir de uma sintonia fina dos nossos valores com os da outra pessoa escolhida.

    E este é um filtro que agora os eleitores passam a levar mais em conta na hora também de escolher seus candidatos.

    É o que mostram pesquisas de opinião recentes.

    Segundo o Datafolha, de cada 10 eleitores sete não pensam em partido político na hora de escolher um candidato. Os índices de aceitação de PT e PSDB são baixos, 11% e 10% respectivamente.

    Há indícios de que os eleitores estão buscando novos nomes, deixando de lados os chamados políticos conhecidos.

    Ainda de acordo com o Datafolha, o índice de rejeição de prováveis pré-candidatos conhecidos para a eleição presidencial de 2018 está acima de 50%.

    Com isso, volta a existir o risco de que, nesse processo emocional, um aventureiro seja eleito, como já vimos no passado.

    Com esse alerta amarelo, quem começa sua jornada política agora, com vista às eleições de 2016, precisa tomar cuidado e levar em conta alguns pontos que começam a balizar as escolhas dos “novos” eleitores. É preciso construir uma imagem real, consolidada em fundamentos atuais que privilegiam a imagem de político que eles querem agora.

    Responda com sinceridade (para você mesmo) sobre o motivo que leva você a ser candidato.

    Tenha certeza sobre essa resposta.

    Qual a motivação maior que leva você a se candidatar?

    Toda campanha é uma jornada muito difícil, repleta de desafios. Por isso é preciso ter convicção profunda sobre o tema.

    Quais valores sustentam a sua vontade de se eleger?

    No Coaching, existem ferramentas e técnicas que permitem ao coachee (quem recebe o processo) encontrar a verdadeira resposta. Como dizem, “Coaching é a arte de conversar com a Alma”.

    É preciso entender que em toda tomada de decisão existe alguma perda. A história do ganha/ganha não vale para esse nível interior.

    O quanto – e o que – você está decidido a abrir mão para se candidatar.  E o mais importante: o quanto você está disposto a investir do seu tempo para ajudar a sua comunidade.

    Estas são as respostas fundamentais que o candidato precisa obter antes da sua decisão.

    O Coaching pode ser uma ajuda valiosa para essa decisão (veja mais em http://marketingpoliticointegrado.com.br/faca-o-coaching-fortalecer-a-sua-campanha/ )

    www.marketingpoliticointegrado.com.br