• Na Política, mentira pode ter pernas longas

     

    A mentira é um dos maiores problemas que se podem enfrentar. Se for político, precisa tomar ainda mais cuidado. Afinal, para quem tem visibilidade pública redobram-se as possibilidades de cobrança.

    Nem todos pensam assim. Há políticos que se importam apenas com o momento. Acabam se esquecendo da memória virtual que perpetua todos os desmandos – e também as boas ações – que são cometidos.

    A memória da Internet é implacável. Cometa um deslize – efakes pronto você pode ser desmascarado na hora – ou em pouco tempo – na Rede Social. Na Política, principalmente. Existem aqueles que usam os meios digitais para denegrir políticos, pessoas com presença pública. Geralmente se escondem atrás de perfis fakes e pensam estar assim protegidos. Ledo engano. Com os recursos tecnológicos à disposição, as autoridades policiais chegam facilmente ao computador de onde partiram as infâmias. Confie na Polícia Civil e Federal em caso de ser vítima de tais ataques.

    Quando o político diz coisas que estão além da sua capacidade, ou garantem o que não podem afiançar, acabam colocando a sua imagem política no fogo da rejeição.

    Há casos clássicos.

    Existem imagens arquivadas de políticos que negaram de pé junto e até choraram – alguns – quando foram veiculadas informações de suspeitas policiais ou judiciais, geralmente nos telejornais de maior audiência. Algum tempo depois, verificava-se que tudo não passara de um grande show de mentira deslavada. Os políticos-atores eram comprovadamente culpados. Mentiram mais uma vez – a última – para o seu eleitorado.

    Há também aqueles que juram não ter conta no exterior. Mas graças à eficiência da justiça de países de primeiro mundo acabam sendo processados com provas documentais. Alguns são inseridos nas listagens de procurados pela polícia internacional.

    É também por casos como esses que a classe política está com índices muito elevados de rejeição. O que não se deve generalizar: afinal, existem políticos dignos de confiança.

    O exemplo contrário também é digno de nota. Existem políticos que admitem os erros, assumem a culpa em público e podem ser até perdoados por seus eleitores. São casos mais frequentes nos Estados Unidos, Inglaterra e em países nórdicos.

    O que se pode aprender diante desses cenários, para quem é pré-candidato:

    1. Nunca minta. Quando prometer alguma obra, faça com a consciência de que vai realizá-la. Pode ser que as circunstâncias impeçam. Isso pode acontecer e você terá condições de explicar a real situação do que aconteceu.
    2. Seja você sempre. Com isso, você adotará ações que sabe serem possíveis.
    3. Tenha em mente o propósito de sua candidatura. Se for por motivo menor, ela pode minguar com o tempo. Campanha é um processo muito difícil.
    4. Para os pré-candidatos a vereador, seja simples. Trabalhe, trabalhe, trabalhe pela sua candidatura e a do prefeito da sua coligação. Traição é um pecado do tamanho da mentira.

    Edson Higo

     

    Veja mais posts no site www.marketingpoliticointegrado.com.br

     

  • O trabalho de formiguinha

     

    Quero ser vereador em 2016. O que faço agora?

    Esta é uma pergunta poderosa – como se costuma dizer, uma “pergunta de Coach”,

    Se este é o seu caso, mãos à obra que o tempo passa rápido. Você tem que fazer muito e já, neste momento.

    Permita-me fazer uma analogia da preparação para a campanha eleitoral de vereador com o trabalho da formiga.

    É exatamente isso o que acontece. A ótica mental minimiza – e muito – a importância desse trabalho. Costuma-se ver como algo menor, sem importância, misturado às muitas ações que definem o cenário da campanha como um todo, que engloba as eleições para vereador e prefeito no ano que vem.

    Aqui, quero fazer um alerta: você, nem que seja somente você, não pode pensar dessa forma.

    As fábulas e metáforas sobre a formiga reforçam sempre a ideia de uma incansável trabalhadora, que faz repetidamente a mesma tarefa de guardar provisões para o próximo inverno (campanha).

    Coloque na sua mente que seu trabalho – metódico, repetitivo e às vezes cansativo – será, desde agora para quem não começou antes, colocar o pé no chão e caminhar muito para conquistar a sua meta para 2016.

    A campanha de vereador, incluída esta fase de preparação, é muito importante para o conjunto de ações partidárias. Durante a etapa do marketing eleitoral, será o candidato a vereador que vai ajudar a capilarizar as ações estratégicas do candidato a prefeito de sua chapa eleitoral.

    No entanto, não se anime. Nem sempre, como já indiquei, você será considerado com esta primazia. Nas campanhas de prefeito que dirijo, faço questão – aqui é um ponto estratégico – de valorizar esse importante trabalho eleitoral.

    Também não desanime. A grande verdade é que tudo vai depender de você. O que você vai fazer por você mesmo, para realizar as suas ações

    Na perspectiva do Marketing Político Integrado, existem ações específicas que devem ser desenvolvidas a partir de agora.

    Leia em http://marketingpoliticointegrado.com.br/a-vez-do-marketing-politico-integrado/

    Aproveite o tempo e veja o que você pode fazer agora:

    1

    Candidato. Responda com honestidade: o que leva você a ser candidato? Esta é uma pergunta importante, porque vai representar a motivação de levar adiante suas ações. E que ninguém se iluda: a campanha é um processo muito difícil e cheio de obstáculos. Em caso de dificuldade com relação a este item, o Coaching pode ser uma ajuda valiosa (veja mais em http://marketingpoliticointegrado.com.br/faca-o-coaching-fortalecer-a-sua-campanha/ )

    2

    Redes Sociais. Comece a expor suas ideias no Facebook, no Twitter e no YouTube. É a partir desses contatos que no ano que vem você poderá convertê-los em eleitores. Lembre-se de que você ainda não pode dizer que é candidato (somente a partir do dia 6 de julho, quando começa a campanha oficial). Mas tem muito assunto para você comentar sobre sua região, sua área de atuação e sua cidade. Site e Blog são importantes para ajudar nessa comunicação via Internet.

    3

    Palestras e encontros. Monte sua agenda de encontros e palestras. Fale sobre os temas que lhe são familiares.

    4

    Newsletter. Ative sua lista de e-mails. Publique uma newsletter quinzenal.

    5

    Marketing Político Integrado. Contrate uma assessoria que conheça as áreas de atuação. Vai ajudar você cuidar das ações de forma estratégica.

    O seu trabalho é de formiguinha. Trabalhe para que de passo em passo você sedimente sua conquista de objetivo.

     

    Consultoria de Marketing Político Integrado online (Skype). Ganhe um bônus de sessão de 30 minutos gratuitos.

    Mande e-mail para edsonhigo@marketingpoliticointegrado.com.br

     

     

  • Não há sucesso como o fracasso

    Foi Bob Dylan quem escreveu essa afirmação de muita sabedoria: “Não há sucesso como o fracasso”.

    Somente quando alguém perde algo é que vai procurar entender por que aconteceu essa derrota – atitude de quem é proativo e tem inteligência emocional elevada. É nesse momento que se pode sentir a vontade de pesquisar, de forma profunda e honesta, os fatores que o desviaram do resultado positivo.

    Esta é a verdadeira aprendizagem.

    Na política, o processo também é semelhante. Tenho observado, ao longo de trinta anos de trabalho de Marketing Político Integrado, candidatos saírem mais completos, inteiros, após se defrontarem com uma derrota nas urnas.

    Continue lendo

Página 2 de 212