• Político também deve ter valor

     

    Fazemos tudo na vida em função de nossos valores pessoais.

    Inclusive escolhemos com quem vamos viver juntos a partir de uma sintonia fina dos nossos valores com os da outra pessoa escolhida.

    E este é um filtro que agora os eleitores passam a levar mais em conta na hora também de escolher seus candidatos.

    É o que mostram pesquisas de opinião recentes.

    Segundo o Datafolha, de cada 10 eleitores sete não pensam em partido político na hora de escolher um candidato. Os índices de aceitação de PT e PSDB são baixos, 11% e 10% respectivamente.

    Há indícios de que os eleitores estão buscando novos nomes, deixando de lados os chamados políticos conhecidos.

    Ainda de acordo com o Datafolha, o índice de rejeição de prováveis pré-candidatos conhecidos para a eleição presidencial de 2018 está acima de 50%.

    Com isso, volta a existir o risco de que, nesse processo emocional, um aventureiro seja eleito, como já vimos no passado.

    Com esse alerta amarelo, quem começa sua jornada política agora, com vista às eleições de 2016, precisa tomar cuidado e levar em conta alguns pontos que começam a balizar as escolhas dos “novos” eleitores. É preciso construir uma imagem real, consolidada em fundamentos atuais que privilegiam a imagem de político que eles querem agora.

    Responda com sinceridade (para você mesmo) sobre o motivo que leva você a ser candidato.

    Tenha certeza sobre essa resposta.

    Qual a motivação maior que leva você a se candidatar?

    Toda campanha é uma jornada muito difícil, repleta de desafios. Por isso é preciso ter convicção profunda sobre o tema.

    Quais valores sustentam a sua vontade de se eleger?

    No Coaching, existem ferramentas e técnicas que permitem ao coachee (quem recebe o processo) encontrar a verdadeira resposta. Como dizem, “Coaching é a arte de conversar com a Alma”.

    É preciso entender que em toda tomada de decisão existe alguma perda. A história do ganha/ganha não vale para esse nível interior.

    O quanto – e o que – você está decidido a abrir mão para se candidatar.  E o mais importante: o quanto você está disposto a investir do seu tempo para ajudar a sua comunidade.

    Estas são as respostas fundamentais que o candidato precisa obter antes da sua decisão.

    O Coaching pode ser uma ajuda valiosa para essa decisão (veja mais em http://marketingpoliticointegrado.com.br/faca-o-coaching-fortalecer-a-sua-campanha/ )

    www.marketingpoliticointegrado.com.br

  • Aos candidatos de última hora: ação!

     

    Termina esta semana o prazo de filiação a partido político, em tempo ainda para quem pretende concorrer às eleições municipais de 2016.

    Não importa o cargo, vereador ou prefeito, o prazo da filiação se encerra agora.

    O mais importante é considerar que sua ação precisa começar agora, junto com sua filiação. E para isso você pode contar com o apoio do Marketing Político Integrado.

    Tenha em mente que a hora é agora. Para ter sucesso, será necessário levar em conta alguns pontos importantes.

    Nos posts anteriores, abordamos esses aspectos e agora vamos indicar alguns deles.

    A Vez do Marketing Político Integrado

    http://marketingpoliticointegrado.com.br/a-vez-do-marketing-politico-integrado/#more-425

    “Comece o quando antes para ganhar tempo.

    Aproveite enquanto é possível se comunicar. Dê entrevistas no rádio, tv, jornais e internet. Publique artigos. Use a força das Mídias Sociais (Facebook, Twitter e You Tube).”

    “O período de propaganda política gratuita pode ficar mais curto, segundo os debates no Congresso indicam. Isso beneficia quem já tem recall, que é mais conhecido. Por isso, saia em campo agora.”

     

    Faça o Coaching Fortalecer sua Campanha

    http://marketingpoliticointegrado.com.br/faca-o-coaching-fortalecer-a-sua-campanha/

    “ O Coaching pode ser uma ferramenta muito importante dentro do processo da campanha política, inclusive na fase da pré-campanha.

    Na campanha, é preciso montar uma empresa média ou grande para funcionar apenas 4 meses e ainda como um relógio suíço.”

    “ O Coaching utiliza ferramentas específicas e da Programação Neurolinguística (PNL), para levar a pessoa, ou a equipe, a alcançar um objetivo, seja pessoal, profissional ou para encontrar a solução de problemas. Algumas formas de Coaching que podem ser aplicadas para a formação harmoniosa da equipe Política: Coaching Executivo, Líder Coaching e Coaching de Equipe (Time Coaching).”

    Você quer saber mais sobre o que pode ser feito a partir de agora e sobre Coaching e PNL na campanha política?

    Mande e-mail para edsonhigo@marketingpoliticointegrado.com.br

     

  • Mídias Sociais e o Marketing Político Integrado

     

     

    Facebook ou Twitter ou You Tube.

    Como escolher o canal mais adequado para a conexão com o seu público?

    Dentro do seu planejamento estratégico, esta é uma parte que precisa de atenção.

    O ideal é ter os três canais, embora eles possam ser lançados em momentos diferentes.

    Considere a expansão dos internautas, que já são mais 100 milhões no país há dois anos. E ainda

    o avanço dos celulares, que já ultrapassaram a casa dos 200 milhões.

    Comece pelo Facebook. É uma poderosa porta de entrada no espaço da Internet. Se você já tem seu endereço pessoal no canal, é recomendável abrir uma fanpage.

    Lá na frente, na época da campanha oficial, depois portanto de 06 de julho – se não houver mudança na data -, esta página vai ser alimentada com conteúdo de propaganda política, em que você vai dizer que é candidato e vai poder até pedir voto.

    Uma das diferenças é que a fanpage pode ganhar mais de cinco mil adesões. Com ela, você está preparado para o crescimento de internautas que seguem você no período de campanha.

    Um lado que deve ser considerado com atenção é o da dinâmica do Facebook.

    O planejamento deve prever como será a atualização: diariamente, quantas vezes e o tipo de conteúdo, entre os pontos principais.

    Podem ser postadas mensagens sobre suas opiniões a respeito de acontecimentos do dia e que interessem ao seu público. Valem as abordagens de temas locais, regionais – e até nacionais e internacionais – sem perder o foco da abrangência de sua localidade.

    O principal é manter o foco no seu seguidor. Você escreve e posta para ele. Você se relaciona com ele.

    Você pode convidar para uma palestra de que vai participar. Pode postar uma foto durante a sua presença no evento. Ou um pequeno vídeo. Pode comentar em seguida. O Facebook é muito dinâmico e vai depender de você, de como foi planejado e está sendo realizado.

    Com relação ao outro canal, o Twitter, é preciso fazer também um planejamento. Existe um mecanismo que facilita sua alimentação. O Twitter poderá estar conectado com seu Facebook, de tal forma que quando você posta em artigo já é criada a mensagem para o míniblog.Mas não é apenas isso: planeje suas postagens para esse público, fale sobre o que eles querem ouvir, e principalmente responsa rapidamente quando ele enviam uma questão.

    Já o You Tube tornou-se um canal muito poderoso de comunicação. Por isso, será o tema de outro artigo.

     

    Você quer saber mais sobre Mídias Sociais na campanha política?

    Mande e-mail para edsonhigo@marketingpoliticointegrado.com.br

     

  • Faça o Coaching fortalecer a sua campanha

     

    O Coaching pode ser uma ferramenta muito importante dentro do processo da campanha política, inclusive na fase da pré-campanha.

    Vamos refletir juntos sobre essa questão.

    Na campanha, é preciso montar uma empresa média ou grande para funcionar apenas 4 meses e ainda como um relógio suíço.

    Para isso, serão reunidos profissionais de variadas idades, formação, homens e mulheres.

    Para operacionalizar essa orquestra, serão contratados outros profissionais a quem será dado cargo de comando.

    Todos esses atores vão precisar ser integrados e estar falando a mesma linguagem rapidamente.

    O que é um exercício quase impossível, pode ser realizado com harmonia com ajuda do Coaching.

    O que é isso

    Coaching é um processo que utiliza ferramentas específicas para acompanhar pessoas ou equipes a alcançar um objetivo pré-definido. Com isso, o coachee – quem recebe as aplicações da técnica – pode ter uma melhora de consciência e ganhar novas habilidades e competências.

    O coach – quem aplica – ajuda o coachee a alcançar metas pessoais e profissionais com excelência.

    O Coaching utiliza ferramentas específicas e da Programação Neurolinguística (PNL), para levar a pessoa, ou a equipe, a alcançar um objetivo, seja pessoal, profissional ou para encontrar a solução de problemas. Algumas formas de Coaching que podem ser aplicadas para a formação harmoniosa da equipe Política:

    Coaching Executivo. É o processo voltado para quem exerce algum papel de liderança. Pode ser o próprio pré-candidato (prefeito e vereador), ou os coordenadores da equipe.

    Líder Coaching. Os chefes da campanha e líderes podem aproveitar muito as técnicas de Líder.

    Equipe. O Time Coaching ajuda a construir a integração harmônica da Equipe. É preciso lembrar que o processo da campanha política significa montar uma empresa para funcionar por curto período.

    O importante nessa aplicação é que pode ser realizada à distância, por meio do Skype ou Hangout, ou seja, ela pode ser levada até onde você e sua equipe estão localizados.

    Você quer saber mais sobre Coaching e PNL na campanha política?

    Mande e-mail para edsonhigo@marketingpoliticointegrado.com.br

     

     

  • Marqueteiro não ganha eleição

    Os consultores de Comunicação Política – designação mais adequada ao nosso trabalho profissional no lugar de “marqueteiros” – sabem muito bem que a afirmação do título é verdadeira. Alguns políticos fazem questão de repeti-la, principalmente quando ganham uma eleição.

    E eles têm razão. Todos sabem que o candidato é quem ganha a eleição, com seu passado, seu desempenho, sua força política
    Pode-se dizer que compete ao consultor evitar que erros sejam cometidos.  No entanto, há candidatos que não aceitam determinada indicação do consultor e com isso podem pôr tudo a perder. E então eles costumam afirmar que “a culpa pela derrota é do marqueteiro”. Pode até ser, mas geralmente foi porque ele, o candidato, ignorou determinada linha que deveria ter sido seguida.

    Continue lendo

  • A vez do marketing político integrado

    Nestes tempos de recursos escassos e mudanças profundas no cenário político, é preciso ter muito cuidado e paciência para caminhar com alguma segurança nos processos que têm como meta as eleições em 2016.

    Isso vale para os que tem pretensão de se candidatar a um cargo de vereador, prefeito e mesmo aqueles que estejam em busca de sua reeleição.

    Vai ser um processo bastante inovador, o que vai exigir criatividade e flexibilidade dos pré-candidatos e das equipes que trabalhem para eles.

    Continue lendo

Página 2 de 212